Envolvido no escândalo dos Portos, Yunes renuncia a cargo em iate clubeTempo de leitura: 1 min.

0
192

José Yunes, outro amigo de Michel Temer denunciado por organização criminosa, renunciou hoje ao cargo de comodoro do Yacht Club de Ilhabela, registra a Folha.

Preso temporariamente na Operação Skala, o advogado foi solto pelo STF dois dias depois.

Yunes foi preso juntamente com o ex-ministro da Agricultura Wagner Rossi, o dono da empresa Rodrimar, Antonio Celso Grecco, e o coronel reformado da Polícia Militar João Baptista Lima Filho.

Após Yunes virar réu, membros do conselho e da diretoria do iate clube iniciaram uma debandada.

“A instituição que tanto amo, o nosso Yacht Club de Ilhabela, não pode, de forma alguma, ser afetada por questões particulares de um dos seus membros condutores”, escreveu o amigo de Temer na carta-renúncia.

Yunes afirmou ainda ser vítima de “mentiras”, “ignominiosa difamação” e “prejulgamentos midiáticos”.