Para conseguir “delação premiada”, Palocci inventa que Lula recebeu dinheiro de KadafiTempo de leitura: 2 min.

1
2210

Por Kátia Figueira ( Katyta)

Palocci está doido para conseguir a “delação premiada” que Moro oferece a quem entregar a cabeça de Lula na bandeja.

Pensou em tantas mentiras que resolveu usar o encontro de Lula com Kadafi para soltar a suposta bomba: Lula teria recebido dinheiro do “ditador líbio”.

Por que Palocci usaria o nome de Kadafi para atacar Lula?

Palocci sabe que falar de Chaves ou qualquer outro líder da América Latina não resultaria o impacto necessário para chamar a atenção da mídia nacional e estrangeira e ganhar o olhar de Moro que tanto deseja.

Mas vamos aos fatos, que pode passar despercebido para muitos.  Lula nunca se intimidou em conversar com líderes estrangeiros, pelo contrário, os demais líderes o respeitavam, porque viam na figura de Lula um verdadeiro Diplomata.

Quando Lula se encontrou com Kadafi, ele sabia que seria alvo de críticas, mas não se importou, porque um líder não teme um desafio.

Kadafi já foi considerado um dos líderes do mundo árabe mais bem aceito pelos chefes de estado do mundo todo. Líderes como Tony Blair, Nicolas Sarkozy, Silvio Berlusconi, Vladmir Putin mantiveram uma relação amistosa com o líder líbio.

Obama e Lula também estava entre os líderes que tratava com respeito Kadafi. O fato de Lula chamar ele de irmão se referia simplesmente que ambos lutavam contra o poder americano e Lula sempre respeitou todos os líderes mundiais, com a diplomacia que lhe é peculiar.

Quando Lula se encontrou com Kadafi e foi alvo da mídia e opositores ele disse:

” Quando o primeiro-ministro britânico se reúne com o Kadafi, todo mundo acha o máximo, mas quando eu me reúno com ele, todos criticam “.

Em todos os encontros, Lula e Kadafi criticaram os países ricos e pediram mais aproximação entre os países da América do Sul e da África.

A invenção de Palocci é mais uma prova de que este julgamento contra Lula é político e atende interesses “ocultos”, uma vez que Kadafi está morto e não poderá ser chamado para depor. Se estivesse vivo, Palocci arrumaria outro defunto para incriminar.

Qualquer pessoa com um pouco de conhecimento saberá que esta denúncia não se sustenta, e que Palocci ainda inventará mais mentiras para enfim tentar se livrar da prisão e jogar sobre Lula seus crimes, afinal ele que recebia os  supostos recursos que diz serem exclusos.

Lula portanto não tem do que se envergonhar e nem de se preocupar, porque assim como os demais líderes, seu encontro com Kadafi foi no dever de suas obrigações como presidente.

Para refletirem deixo este ditado abaixo:

“O que Pedro pensa de Paulo, diz mais sobre Pedro do que Paulo.”

  • Dinália de Mesquita

    Excelente artigo! Moro tenta de toda forma incriminar Lula!